terça-feira, 7 de junho de 2016

Microfisioterapia trata com excelência as afecções da pele


>




http://www.creabily.com.br/clinica-fisioterapia/microfisioterapia.jpg

Eczema, também chamado de dermatite, refere-se a qualquer tipo de inflamação da pele. Em geral, iniciam-se pelo aparecimento de vermelhidão e inchaço da superfície cutânea, às vezes com acúmulo de líquidos em pequenas vesículas, com prurido (coceira), formando-se crostas muitas vezes podendo a pele torna-se espessa.

É bastante comum na infância e adolescência, afetando cerca de um em cada nove jovens (11%-15%). Também é frequente em profissionais de saúdes, pessoas responsáveis pela limpeza e lactantes. Atinge cerca de 5-10% dos adultos.

Sintomas – Os principais sintomas são manchas avermelhadas (eritema), inchaço (edema), secreção na pele, pele ressecada, formação de crosta. Sintomas como manchas também causam prejuízo significativo na socialização, tanto para crianças quanto para adultos.

Diagnóstico – O diagnóstico é essencialmente clínico e consiste na localização das lesões e dos sintomas levando em conta a idade do doente, o caráter crônico ou agudo da doença e o histórico pessoal ou familiar de alergias. Independentemente do tempo das lesões, a microfisioterapia consegue promover a melhora do quadro. Geralmente de 2 a 4 sessões, com intervalos de 30 a 60 dias são indicados.

dermatite_01Causas – Fatores psicológicos como estresse excessivo ou situações traumáticas podem desencadear uma dermatite por somatização. Outras possíveis causas incluem fatores hormonais, a troca do leite materno pelo industrial (em bebês). Também pode ser desencadeada por certas vacinas e pode ocorrer por atrito com certos materiais (fibras sintéticas).

Na dermatite seborreica, a principal causa é a hipersensibilidade, nesse caso sendo chamada de dermatite atópica, que possui fatores hereditários, mas só são ativados por um estímulo que desencadeia a alergia (como leite, camarão ou pólen). Podendo ser originada por fatores de ordem interna ou externa, variando de acordo com a resposta imune de cada organismo, ao ambiente em questão.

Tratamento – Uso de corticoide, como hidrocortisona, é muito comum para o tratamento de episódios agudos e hidratação da pele mas não para episódios crônicos pelo risco de repercussões graves. É comum também o uso de anti-histamínicos sedativos usados para controlar o prurido e coceira.

Quando as lesões não melhoram ou as causas envolverem fatores psicológicos como ansiedade, compulsões, transtornos de humor, transtornos somatoformes ou traumas psicológicos, a microfisioterapia tem ação eficiente. Ao estimular o sistema imunológico, o corpo volta a seu equilíbrio e consegue combates agentes alergênicos com resultados surpreendentes. Durante a sessão, o fisioterapeuta apresenta ao corpo novamente a lesão inicial e o corpo tem uma segunda chance de se curar, com seu sistema imunológico mais forte.

O paciente, após a primeira sessão, já é orientado a deixar a medicação, dando ao corpo a tarefa de cura!

O número de sessões pode variar de paciente para paciente. Entretanto, observa-se uma média de 3 a 4 sessões, com intervalos de 30 a 60 dias, de acordo com a evolução.

(*) Andréa Zuppini é fisioterapeuta especialista em Microfisioterapia com formação internacional pela CFM – Centre de Formation en Microkinésithérapie e diplomada pela Escola de Terapia Manual e Postural do Paraná. (www.microfisioterapiaabc.com.br) – (11) 2889-0106

Nenhum comentário:

Postar um comentário